Minhas crenças ou as suas crenças

//Minhas crenças ou as suas crenças

Minhas crenças ou as suas crenças

Me deparo diariamente com pessoas com situações complexas, todos sabemos que a vida tem altos e baixos e que as vezes são muito intensos, e que se potencializam ao relacionarmos com os outros.

É lógico que nós enxerguemos o mundo através de nossas crenças, do nosso filtro mental que consiste no que recebemos como educação em nossa família, nossa escola, nosso trabalho, o nosso país … em suma, o nosso “mundo “. Mas isso não deixa de ser uma fração limitada da realidade que depende do que somos e como olhamos para a vida através de toda essa informação que nos molda.

Isto não implica problema nenhum quando nos relacionamos dentro desse nosso “mundo”. O problema começa quando temos que nos relacionar com “os mundos” dos outros, fora de nós e de nosso filtro mental. É nesse momento onde mesmo sendo da mesma família ou escola, nós começamos a ver diferentes pontos de vista, porque ainda que sejam nossa família de sangue, o filtro mental que os compõe é diferente. Aí começa a luta de “minha ideia ou a sua”

Quando isso realmente acontece, é porque não temos uma visão do Todo como tal, e falamos e defendemos argumentos limitados e filtrados da nossa realidade. E não é que não temos razão, só que esta nos acompanha dentro de um limite muito definido.

É nesse momento quando nos relacionamos de forma direta com o julgamento e a dualidade, pois, julgamos errado o que o outro defende e como correto e bom o que nós defendemos. Com isso começamos a nos perder nessa dança da dualidade que nos faz crer que o nosso existe e é positivo, e o outro é negativo e totalmente alheio a nós.

Mas realmente o que acontece quando isso se da, é que o que nós julgamos como ruim, é o extremo oposto do que acreditamos como bom, pelo que é algo que você não quer ou não pode associar com você mesmo. Vou te dar um exemplo.

Agora nos encontramos com um grande número de pessoas que buscam ter mais consciência, alimentar-se melhor e respeitar a Mãe Terra. Buscam aprofundar-se para encontrar um caminho interno que os leve m que os levem a eles mesmos e que lhes permita mais controle sobre quem eles são e sobre o que acontece em suas vidas, aumentando assim a sua consciência do Ser.

Se você tem dado conta, faz parte da filosofia que propomos neste site e no nosso Método. Por Mas agora vou lhe explicar o que eu quero dizer com isso: a partir do momento que eu creio que minha crença é superior à de quem não olhar para além de sua realidade, ou não tenham uma alimentação saudável, ou não procuram respeitar a natureza, etc… por não querer ou não ter acesso a esse conhecimento; a partir disse momento eu tenho que começar do zero, por eu não ter entendido a essência do que realmente é ter consciência sem julgamentos.

Nada é uma verdade absoluta, nada é melhor nem pior, todos somos o mesmo só que materializados de maneiras diferentes. É a mesma informação: abandonar ou super proteger, ser espiritual ou ser totalmente terreno, ser vítima ou carrasco, ser adito ou abstêmio. A dualidade é uma dança entre extremos que falam de si mesmos.

Quando um se conecta ao TODO, não sente necessidade de defender nem como real nem como a única verdade, pois se já É, o que É não precisa explicação.

Convido-vos a não defender suas crenças como únicas. Você pode ter que fazê-lo porque você precisa acreditar que elas são verdadeiras, mas quando necessita é porque você não se sente seguro, portanto, apenas você esta lutando contra si mesmo e os seus medos de estar errado.

Olhe para as linhas que eu compartilho contigo, não como certas, mas como talvez uma nova possibilidade, uma nova crença que pode te abrir portas. Use-as se te servirem e se não servirem deixe-as onde você as encontrou, sem mais, sem luta e sem julgamento … isso indicara que serviram para você!

Se você as julga ou duvida sobre elas, te convido a pensar qual é a resistência interna que despertam em você, qual é o espelho que essas crenças te mostram, só assim terão servido para alguma coisa.

Não acredite em nada do que eu te proponho, sinta-o!. E se você o sente … viva-o!.

By | 2019-02-04T10:04:28+00:00 fevereiro 1st, 2019|Blog|Comentários desativados em Minhas crenças ou as suas crenças

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies